A CULTURA DO CORPO PERFEITO

Houve uma época em que ser acima do peso era considerado saudável, uma vez que essa condição física mostrava que a pessoa se alimentava “bem”, comportamento esse visto como modelo pela sociedade. No entanto, depois de diversos estudos ao longo dos anos, essa condição mudou. Se alimentar bem não é sinônimo de quantidade, mas sim de qualidade.

Dessa forma, poderíamos dizer que a cultura do corpo perfeito dita nos tempos atuais seria capaz de ser uma motivação positiva para que as pessoas abandonem suas vidas sedentárias e passem a praticar atividades físicas? A resposta é (mais ou menos).

Seria (sim), mas a questão é que a pressão da mídia indiretamente em todos os lugares (novelas, comerciais, revistas, passarelas ou até mesmo seus amigos do instagram usando cuecas minúsculas em seus corpos esculpidos somados a lugares paradisíacos e com várias curtidas e comentários) faz com que a pessoa busque esse resultado em curto prazo e da forma incorreta, fazendo com que as pessoas se alto apliquem dietas que não condizem com suas rotinas, deixando seus organismos carentes de nutrientes essenciais, prejudicando sua saúde física e mental, ou até mesmo se automedicando com pílulas de emagrecimento ou anabolizantes, porque fulano ou beltrano adquiriu resultados rápido, ou até mesmo desenvolvendo transtornos alimentares como a bulimia.

Os resultados da maneira saudável e correta são adquiridos em longo prazo e isso causa frustrações naqueles que tem pressa. Dessa forma, poderíamos reafirmar que é de suma importância o acompanhamento de profissionais que tantas pessoas insistem em banalizar, uma vez que os mesmos (que levam a profissão a sério) seguem o básico (dieta x exercícios regulares).

E o mais curioso é que, na maioria das vezes, quando a pessoa não atinge o “corpo perfeito” acaba ligando o “foda-se” e volta à alimentação ruim e ganho novamente de peso, não satisfeita com o “meio termo” que adquiriu com a dieta e exercícios.

Mas nesses casos vale ressaltar que essa desistência normalmente ocorre quando o indivíduo autoaplica dietas extremas com carência de nutrientes e uma rotina de exercícios exaustiva, interferindo na saúde física e mental ocasionando ao estresse emocional. Ser sarado ou obeso demais não é saudável!

Importante ressaltar que há algumas pesquisas que apontam que existe “obesidade saudável” o que não é totalmente verdade, mas os meios de comunicação pecam em divulgar essas notícias tendo essa premissa como manchete e um texto não muito indicado para leigos, que serão o público alvo interessado nesse assunto.

Se você se olhar no espelho, achar que está acima do peso e encostar-se à falsa afirmação que obesidade saudável existe por preguiça de se exercitar e se alimentar de forma saudável, sem fazer sua bateria de exames e seguir o conselho dos próprios pesquisadores que fizeram tal afirmação para as pessoas não abandonarem a prática de exercícios x boa alimentação, isso pode te levar a morte.

Lembrem-se, extremos não é saudável!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s